A Garota no Trem escrito por Paula Hawkins

15:15


Paula Hawkins alcançou seu primeiro grande romance de sucesso com A Garota no Trem, quem trouxe esse best-seller em 2015 foi a Editora Record. Um livro, que vou dizer, me chamou atenção quando comprei, a capa muito bem feita, e a sinopse prometendo um grande e intrigante thriller psicológico. No início da leitura gostei da forma com que a personagem principal entende o mundo a sua volta e como ela o analisa, mas com o passar das páginas, me desinteressei um pouco. Voltei a ler um tempo depois, mais confiante, já que por amigos fiquei sabendo que a leitura iria melhorar. E não me arrependo, talvez eu tenha lido poucos thrillers e não tenha percebido que tudo começa calmo, rs.

A história é sobre uma mulher, Rachel, que sempre pega o trem as 8h04min de Ashbury para Londres, a caminho do trabalho. Durante essas viagens de trem, Rachel se senta na janela e volta sua atenção para as pessoas que moram nas margens dos trilhos, inventando histórias de vida para elas.  O casal, que apelida de Jess e Jason são perfeitos na sua imaginação. Mas eles são pessoas reais e como todos, acabam tendo problemas reais, então, a personagem principal, sendo sua observadora e tendo problemas que se ligam aos do casal, é puxada fortemente ao encontro destes, que por coincidência moram na mesma rua de seu ex-marido e sua nova esposa, que era sua amante. A questão é que Rachel enfrenta muitos problemas, como o alcoolismo e a depressão, devido a acontecimentos em sua vida (como a traição do marido), que são narrados ao longo da história.

No início, o livro me lembrou muito a série Jessica Jones do Netflix em parceria com a Marvel, claramente sem o contexto dos super-heróis e bem menos glamourosa, pois há todo um mistério sobre o que Rachel faz ou vê, de suas memórias, se elas são reais, ou se foram inventadas por ela, além da sua ansiedade e das suas tentativas falhas de melhorar as coisas. Além disso, há aquele ar meio sombrio, de que tem muito mais para ser entendido.

De vazio, eu entendo. Começo a achar que não há nada a se fazer para preenchê-lo. Foi o que percebi com as sessões de terapia: os buracos na sua vida são permanentes. É preciso crescer ao redor deles, como raízes de árvore ao redor do concreto; você se molda a partir das lacunas. Sei de tudo isso, mas não digo em voz alta, não agora.

Mas, no decorrer da narrativa, percebe-se a grande carga psicológica que existe para todas as pessoas envolvidas (principalmente o abuso psicológico), e pode-se fazer uma grande reflexão sobre o pré-julgamento que fazemos baseado na aparência dos outros, sobre o lugar da mulher na sociedade, sobre o drama das doenças psicológicas, e dos vícios de todos os tipos, que sempre tem um motivo (Rachel tem os seus). 

A verdade é que o final é espantoso e existem várias reviravoltas na história, com cada dado novo que recebemos dos personagens, que são vívidos e com problemas que conseguimos nos relacionar. Sentimos cada dor, cada felicidade, cada evolução e cada triunfo deles neste suspense arrebatador, sempre torcendo para que nosso palpite dos acontecimentos esteja certo. Tanto é que sofremos com tudo na história (quem nunca? rs). Já que a narrativa é quase sempre em 1ª pessoa, o tempo todo muda a perspectiva dos acontecimentos, trazendo a visão de personagens diferentes sobre a história. Além da data e do momento da narrativa no dia (manhã, tarde e noite), introduzidos a cada capítulo (dica: prestem muito atenção nessas datas), que trazem um sentido cronológico ao texto. Também a linguagem moderna e a letra de um tamanho razoável, fazem a leitura mais fluida.


Uma leitura apaixonante, com muito suspense, muitos traumas e acontecimentos do passado, que querem ser escondidos. Uma história construída com louvor, nos deixando apreensivos até o último minuto, e nos tornando detetives junto com a personagem principal. Recomendo para aqueles que querem refletir sobre a vida, sobre as pessoas a nossa volta e principalmente sobre nossos preconceitos e emoções. Suspense, com um pouco de sangue, devo dizer, não é um livro para os fracos, rs.

Toda noite, ao voltar para casa, principalmente no inverno, eu costumava apertar o passo, dando uma olhada rápida para a direito só para garantir. Nunca havia ninguém lá – nem em nenhuma daquelas noites, nem hoje – e, ainda assim, travei ao olhar para aquela escuridão hoje de manhã, porque de repente me vi. Eu me vi alguns metros lá dentro, caída junto à parede, a cabeça entre as mãos, e tanto a cabeça quanto as mãos sujas de sangue.

You Might Also Like

13 comentários

  1. Oi querida,

    Fiquei super interessada na leitura e entender mais sobre a garota no trem e as histórias criadas.
    Livro add a lista com sucesso!!!
    Abraço,

    ResponderExcluir
  2. Quando vi que era um thriller e que era no estilo de Garota Exemplar tive certeza de que iria amar. Esse é o meu tipo de livro, mistério e violência são a minha praia. Assim como vc gostei muito
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  3. OI, Fernanda
    Os thriller geralmente começam calmos mesmo..rs Eu estou mega curiosa para ler esse livro e acho que ia preparada para os altos e baixos dele.
    Imagino que não seja um livro para os fracos mesmo rs Adorei a resenha e saber que gostou.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oiiie
    nossa, eu quero muuuito ler esse livro e já o tenho aqui, adoro esse gênero, o enredo ta muuuito chamativo, além do mais, espero que oi filme seja super bom, com certeza lerei em breve


    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Fer, já faz tempo que quero ler esse livro. Gosto muito do gênero e creio que a leitura deve ser ótima. Sua resenha ficou incrível, relatando um pouco do que o livro apresenta ser revelar muitos detalhes, isso fez com que eu ficasse ainda mais curiosa com os acontecimentos do enredo.

    Super beijo
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  6. Oi ^^

    Quero ler este livro desde que soube do seu lançamento. A cada nova resenha que leio, me encanto mais e fico mais curiosa.

    Espero consegui ler o quanto antes!

    ResponderExcluir
  7. Essa é uma leitura que tô devendo faz tempo. Sou louco por esse livro e sua resenha só me deixou com mais vontade ainda!
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Já li algumas resenhas desse livro e acho o enredo muito curiosa, uma mulher que acompanha vidas de um trem, me parece até poético, mas depois lendo a resenha, a gente tira a cortina da poética e vê algo mais sangrento, se é que posso dizer isso. Nunca li o livro, mas tenho muita vontade.

    ResponderExcluir
  9. Olá Fernanda, desde que esse livro foi lançado vejo vários comentários super positivos sobre ele e com esse enredo com um belo suspense fiquei bem curiosa para lê-lo *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  10. Fernanda, eu sempre relacionava esse título com o filme O Último vagão, que tem uma pegada mais de terror. Ontem eu li uma resenha, mas não falava muita coisa sobre a narrativa. Agora consegui pegar mais. Parece ser um livro interessante. Quando tiver oportunidade, lerei com certeza.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Fernanda! Adorei tua resenha! Amo suspenses e esse está no topo da lista de desejados do gênero, pois só leio comentários positivos sobre a narrativa. Espero ter a oportunidade de ler muito em breve e matar minha curiosidade haha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Fernanda! Adorei tua resenha! Amo suspenses e esse está no topo da lista de desejados do gênero, pois só leio comentários positivos sobre a narrativa. Espero ter a oportunidade de ler muito em breve e matar minha curiosidade haha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Adorei saber que o final do livro é espantoso. Poder sentir todas as sensações que o personagem passa é um talento para poucos autores e, claro, a autora já me conquistou por isso sem ao menos eu tê-la lido.
    Esse livro já estava na minha lista de leitura para esse ano, agora estou mais animada para começar a leitura.
    Parece ser um livro bem completo e muito bem construído mesmo. Gosto muito quando os livros nos permitem refletir sobre determinadas questões.

    Beeijos, Erica Regina
    Blog Parado na Estante / Fanpage Parado na Estante

    ResponderExcluir