A Mão Esquerda de Deus por Paul Hoffman

12:20

Preste atenção. O Santuário dos Redentores do Penhasco Shotover deve seu nome a uma grande mentira, pois há pouca redenção naquele lugar e ele tão pouco serve de refúgio divino.


EDITORA: Suma de Letras
ISBN: 9788560280537
ANO: 2010
PÁGINAS: 327

A Mão Esquerda de Deus (do original The Left Hand of God) é o primeiro livro da trilogia de mesmo nome, escrita por Paul Hoffman.

Thomas Cale não sabe sua idade, 14 ou 15 anos, nem mesmo seu nome verdadeiro. Pelo que diziam a seu repeito, foi a criança mais jovem a ser levada ao Santuário.

Ninguém conseguia entendê-lo; Cale não se rebelava, mas também não abraçava a fé. Todos o deixavam em paz, e Cale, até onde dava para perceber, preferia que fosse assim.

O Santuário dos Redentores é um lugar desprezível e asqueroso, onde somente meninos com menos de 10 anos são levados para serem treinados, deixando de lado seu passado, adotando uma nova identidade e sendo treinados brutalmente nas artes da guerra. Foi esse lugar que moldou o caráter de Cale, Henri e Kleist, é nesse lugar que eles são testemunhas de um crime horrendo que desencadeia a fuga dos garotos, mas nada será fácil... Ninguém que escapa do Santuário fica impune e o Lorde da Guerra não esta disposto a perder sua melhor arma: Thomas Cale.

Cale estava chocando deliberadamente seus ouvintes. Desde pequeno, sua capacidade de mentir era tão grande quanto, hoje em dia, a de matar. E pelo mesmo motivo: ela era necessária para a sua sobrevivência.

Eu esperava por um pouco mais do livro, as minhas expectativas estavam altas pelo tanto que já haviam me recomendado. A introdução agradou, mas com o passar do tempo acabou se tornando morno, com um ponto de clímax aqui e outro ali devido a determinadas cenas de ação que me fizeram continuar a leitura até o fim. Infelizmente, A Mão Esquerda de Deus tinha tudo para ser awesome, mas em determinados momentos o achei lento.

Contudo, nem por isso é um livro descartável, pois são esses pontos de clímax que nos fazem ver o livro com outros olhos. Sabe aquela sensação de que o autor esta escondendo uma grande carta na manga?

- Pois os lábios que ora lhe parecem tão doces quanto um favo de mel, logo serão tão amargos quanto o absinto, e tão cortantes quanto uma faca de dois gumes.

Os personagens principais são bem feitos, moldados de acordo com o ambiente em que vivem, por exemplo, o próprio personagem principal. Cale é uma arma letal, extremamente frio quando em ação, mas ainda assim um garoto que viveu parte de sua vida dentro dos muros do Santuário. Seus companheiros nessa empreitada, Henri e Kleist são bem definidos em sua personalidade é fácil de saber quem é quem através de suas falas.

Torço para que sua continuação melhore devido ao bom final. Quero muita ação, pois a história exige isso, assim como o personagem principal.

NOTA: 3.5 de 5.0

You Might Also Like

2 comentários

  1. Já ouvi falaram muito bem do livro, e gostei da resenha, mesmo assim não sei se leria, não me interessei muito pela proposta do livro

    Pah - Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, o que me fez ler o livro foram as inúmeras recomendações, por eu gostar muito de histórias no estilo medieval e que envolvam bastante ação... Minhas expectativas estavam bem altas. Vamos ver a continuação, quem sabe não acabe melhorando?

      Bjs!

      Excluir